MOSAICOS DE UMA VIDA

Juntando cada peça forma-se o mosaico de minha vida. Tantos sentimentos me envolvem. Sentimentos ruins, outros bons. Saudade de quem se foi para eternidade. Saudade de quem posso ligar para ouvir a voz. Tristeza pelas metas não cumpridas e alegria pelos objetivos alcançados. Gemidos de dor, outros de prazer.

28 de abr de 2012

Psicólogo Não. MosaicoTerapia

Essas peças de mosaicos representam certo momento da minha vida. Época em que me aconselhavam procurar ajuda psicológica. O problema central abria passagem para outros problemas. E o “agorafobia” foi o que mais atrapalhou. Sentia medo do próximo passo. 

No lugar de psicólogo optei pelas amigas mais próximas. As palavras de incentivo e consolo foram essenciais e fizeram-me sentir acolhida. Já o mosaico servia de refúgio. Momento que me fazia refletir. Ora as peças se encaixavam com facilidade, ora nada preenchia o espaço vazio. O mosaico continuava incompleto enquanto na busca da peça perfeita minha vida ali era representada. Incerteza, tristeza, solidão, medo, angústia e muitas lágrimas. Muitas!

Novo passo dado na minha vida. Novas peças de mosaico ficavam prontas. Com o MosaicoTerapia economizei com psicólogo e ainda ganhei uma graninha extra vendendo minha arte.

Matematicamente falando sou uma incógnita. Psicologicamente falando sou a resiliência em pessoa. E se não fosse socióloga seria psicóloga. Isso nem Freud explica.

22 de abr de 2012

Política Virtual


Escutar pelo rádio ou ver na televisão o horário político é opcional. Passar o dia ouvindo aquelas musiquinhas de campanha nos carros de som é inevitável e aborrecedor. Ver estampado em tudo quanto é lugar as fotos dos candidatos -“cirurgiadas no photoshop” como bem disse um amigo meu - me dá enjôo e infelizmente não tenho como evitar tal poluição visual.

Irrito-me quando abro meu e-mail e a caixa está cheia dessas propagandas. Meu correio eletrônico é exclusivo para me comunicar com pessoas que gosto, numa troca prazerosa. Saber como elas estão e dizer como estou, enviar e receber mensagens referentes ao trabalho/estudo...

Se você nunca enviou propaganda política pra mim... Ótimo!
Se você estava pensando em enviar... Desista!
Se você já enviou... Tome um chá de semancol

E pra não perder o hábito.... Cheiros

21 de abr de 2012

Tarado de Surubim


No texto que falo sobre os sete irmãos citei sobre a proteção e cuidado que temos uns com os outros e prometi comentar com mais detalhe em outra oportunidade. Desse processo de proteção muitos acontecimentos são lembrados de forma cômica.

A história da vez aconteceu há muitos anos e é sobre o “tarado” de Surubim (interior de Pernambuco). Imagine vocês que esta semana estava dentro do ônibus e subiu um homem igual ao dito cujo. Imaginei que seria impossível ele estar do mesmo jeito depois de tantos anos, viajar mais de cem quilômetros e pegar mesmo ônibus que eu.

O homem passou da catraca e bateu os olhos em mim que estava sentada lá no fundo. Veio caminhando em minha direção. Comecei sentir um frio na barriga, um filme passou na minha cabeça relembrando da cena em Surubim.

Após um final de semana na casa de minha tia estávamos eu e minha irmã nos organizando para voltar pra Recife. Enquanto ela estava dentro de casa fui até a casa da vizinha e me deparei com um homem, aparentemente bêbado e me olhando com cara de lobo. Veio em minha direção e fiquei sem ter pra onde correr. A vizinha Elaine chegou na hora e abriu a grade pra me dar abrigo. Recusei entrar e peguei uma vasoura. Vejam a minha audácia!

Falei: se aproximar eu meto a vassoura
Ele: não tenho medo de você
Eu: nem eu do senhor

O atrevido veio de braços abertos pra meu lado e eu com toda minha força tentei dar uma vassourada na cabeça dele. O infeliz conseguiu segurar a vassoura. Ficamos nós dois segurando a mesma. Eu ainda tentava chutá-lo e comecei a gritar: Sandraaaaaaaaaaaaaaaaa

Quando minha irmã chegou a vassoura ainda estava sendo disputada por mim e pelo bêbado. Quando disse pra ela que ele tentou me agarrar ela deu uma tapa na cara dele.
Duas contra um. Ele soltou a vassoura e foi em cima dela. O que? Na minha irmã não. Acertei a vassourada!!! E ficamos nós duas reversando, uma vassourada, uma tapa na cara. O homem saiu correndo gritando pela polícia. Quando tudo acabou percebemos que tinha plateia.  Enfim, tudo acabou bem e retornamos pra casa.

Ah! Sobre o homem do ônibus que me fez lembrar essa história... se aproximou e ficou me olhando. De repente deu uma piscada de olho (isso ainda existe) e na hora de descer disse: você parece com uma menina de um “reclame” de televisão (propaganda). Tão antiquado assim, será que era ele?

20 de abr de 2012

Desejo Maior


Dedico esse texto a Catarina, Polly_29, Polly79, Midu, hericacg, ÉricaEva, Amorbb, amord+, Glei Kelly, Ana_29, Marlene sb, Ana lulu, Alyninha, cpaulino, deinha, Graci, jefbaby, Lili Leite, Mirarec, new mammy, Rachael, tacilou, sonho meu, recifense, as demais colegas do E-family e minha amiga Emilene.


Num momento de muita angústia e tantas lágrimas escrevo-te como forma de desabafo. Desejando em vão que tu sintas o quanto te desejo. Neste momento abdicaria de tudo que tanto almejei só para ter você. E me pergunto por quê. São muitos os porquês, são várias as perguntas sem respostas. Preciso de forças para continuar. Preciso de força para não deixar essa depressão ser mais forte do que eu. Preciso de força para aguentar esse amor que sinto por você. Não sei se um dia sairás daqui de dentro de mim para me trazer a alegria. Minha única certeza é que tu és meu desejo maior e por ti tornei-me uma pessoa melhor.

Meninas, obrigada por fazerem parte dessa história de uma maneira tão positiva.

16 de abr de 2012

Ser blogueir@ é...

Viver pensando na próxima postagem;
Encontrar inspiração na madrugada, sair da cama e acessar o blog para publicar;
Escrever para si e para os outros mesmo que estes não leiam;
É olhar para todos os blogs com visão de blogueir@ e não apenas de leitor;
É incluir no vocabulário palavras inexistente nos tradicionais dicionários, tais como: blogosfera, template, gadget, além dos “verbos” blogar e postar,...
Enfim, ser blogueir@ é ter um espaço próprio onde você possa se jogar!!

9 de abr de 2012

Excluindo a Inclusão


Há alguns anos poucas pessoas tinham acesso à internet e consequentemente às redes sociais. Com a inclusão digital no Brasil o Orkut foi à rede que mais se expandiu, atingindo todas as classes sociais. Ou seja, a madame,  a patricinha e o filho do doutor viajando no mesmo espaço onde navegavam o filho da empregada, a faxineira e zelador.

Um grupo exibindo casa de praia, piscina, mesa farta regada a vinho do porto. Outro grupo fazendo pose durante churrasco em cima da laje. Todos demonstrando felicidade independente da sua realidade.

Isso incomodou muita gente. Como manda o ditado, os incomodados se mudaram para o Facebook e passaram a curtir essa rede. De repente, não mais que de repente chega a galera do Orkut para desespero da elite. E não parou por aqui....Bastou a notícia que o Instagram seria disponibilizado para Android  para a primeira classe se incomodar. Esqueceram que a própria Apple atingiu a classe econômica mesmo que no parcelado em 12 vezes.

Possivelmente o incômodo vem de pessoas que são contra a inclusão digital e tantas outras inclusões almejadas por vários grupos e movimentos. Não sou contra tal inclusão, apenas defendo o uso inteligente das redes sociais, isso inclui o respeito e vale para todas as classes.