MOSAICOS DE UMA VIDA

Juntando cada peça forma-se o mosaico de minha vida. Tantos sentimentos me envolvem. Sentimentos ruins, outros bons. Saudade de quem se foi para eternidade. Saudade de quem posso ligar para ouvir a voz. Tristeza pelas metas não cumpridas e alegria pelos objetivos alcançados. Gemidos de dor, outros de prazer.

27 de jun de 2012

Mulher de Fases


Meu lado LUA de ser está no auge de sua mudança.

O lado MINGUANTE é a fase que choro muito, muito mesmo. Sinto-me pequena, sem forças, sem rumo, sem respostas...

Em seguida chega o lado LUA NOVA. Renovo-me, ergo a cabeça tentando buscar uma solução ou pelo menos sair da depressão...

E logo esse momento de renovação abre espaço para meu lado LUA CRESCENTE. Sinto que o sofrimento também me faz crescer. O crescimento pessoal me ajuda lidar com a dor, com a perda...

É ai que me sinto CHEIA, cheia de esperanças, acreditando que o melhor Deus preparou pra mim e estar por vir...

Só que essa fase também passa, e infelizmente começa tudo de novo.

20 de jun de 2012

Aborto é Crime ? ! ? !


A experiência de perder uma gravidez desejada é algo que machuca, principalmente quando o aborto fica retido. Aos dois meses descobri que meu bebê parou de evoluir e mesmo assim precisei ficar mais cinco dias esperando expelir naturalmente; nada mais para evitar infecção. O prazo passou, o embrião permanecia comigo e a curetagem foi inevitável.

Durante esses cinco dias a dor era imensa, não dor física, sentia dor no coração, dor na minha alma, não havia nada que eu pudesse fazer a não ser chorar. Acordava durante a madrugada achando que era um sonho, e logo lembrava que era um pesadelo real.

Finalmente chegou o dia da curetagem. Assim como eu várias mulheres aguardavam internação na recepção do hospital. Todas grávidas e felizes, prestes a terem seus bebês; o único caso de curetagem era o meu.


Foi muito difícil dividir o mesmo espaço com aquelas mulheres que alisavam a barriga e sentia o bebê mexer. O meu estava morto e mesmo que eu quisesse acaricia-lo ele nada sentiria. Minha angustia aumentava, elas seguravam a barriga, eu segurava o choro e o nó na garganta se formava como prova da minha profunda tristeza.

O tratamento dos funcionários do hospital também era diferenciado desde a recepção. Esperei por quase duas horas para ser realmente internada, todas as grávidas subiam pra sala anti parto e só eu permanecia na recepção, esqueceram-se da medicação prévia conforme solicitação médica, tratavam-me como se eu tivesse cometido algum crime.

A única pessoa que me tratou bem foi a enfermeira que colocou o soro. Por ironia do destino também estava grávida e revelou conhecer minha dor por já ter passado pelo mesmo problema.

Segui para sala de parto como toda grávida, com roupas adequadas ao bloco cirúrgico. O anestesista chegou e me fez algumas perguntas, afastando-se para fora do bloco. Minha obstetra foi até seu encontro e conversaram um pouco sobre mim. Ouvi-a explicando que aquele filho foi desejado, que o aborto não foi provocado e que meu corpo não o expulsava. Ele voltou pra perto de mim, pediu licença para pegar na minha barriga e me fez um carinho como que estava com pena de mim e falou: eu sinto muito.

Fui sedada, adormeci e quando acordei já estava na sala de recuperação com mais quatro mulheres. Todas sentiam dor, mas estavam felizes por saberem que seus bebês estavam no berçário. Eu sentia a mesma dor que se somava a tristeza de saber que meu bebê não existia mais.

A enfermeira se dirigia a cada paciente dando notícias dos seus filhos, o médico perguntava para cada uma se já tinham leite. Eu parecia estar invisível pra eles, até que o telefone tocou duas vezes, era alguém querendo notícias minha, foi quando lembrei que ainda existo e que alguém se importa comigo.

Eu precisava sair dali, virar aquela página da minha vida e começar a escrever uma nova história.

15 de jun de 2012

Seu coração não bate e o meu dói

Lembro-me como se fosse hoje quando recebi o resultado do BetaHCG. Estava gravidíssima e feliz. A 1ª ultra foi logo no início e só via o saco gestacional. Mesmo assim pra mim era lindo!

Após o positivo mudei os hábitos alimentares, tirei o que ”não prestava” e segui orientação médica. Fiz tudo tão certinho que o vício de tomar café foi banido, açúcar diminuído, sal esquecido. Sentia-me responsável por cuidar do meu bebê ainda dentro de mim. Dessa vez eram os estudos e as viagens que seriam adiadas para dar vez a quem foi por muito tempo adiado.

No dia da 2ª ultrassonografia meu mundo caiu. Não sai da minha cabeça a voz do médico dizendo mais ou menos assim: “aqui está seu embrião com 8 semanas, infelizmente  ele não progrediu, está sem batimentos cardíacos”.

Assim como compartilhei meu momento de alegria, compartilhei também meu coração em luto. Recebi muitas mensagens e palavras de consolo, mas só o tempo vai aliviar o que sinto.

Neste momento não faço outra coisa a não ser chorar. Triste com Deus não estou, mas são muitos os porquês e só Ele tem as respostas. Está doendo muito, não uma dor física, mas uma dor no mais profundo do meu ser. Fui mãe por 8 semanas e agora meu bebê está aqui dentro de mim, sem vida. Seu coração não bate e o meu dói. 

Músicas de Propagandas


Não sei se acontece nas melhores famílias ou se é algo peculiar aos irmãos Ferreira Barbosa. O fato é que desde crianças temos uma afinidade com as músicas de propagandas. Essa noite sonhei com uma dessas músicas e acordei cantarolando-a:

Foto: Sandra Barbosa
“Tô de água na boca, ai que cheirinho bom. É cuscuz de milharina, é milharina. Vem menina, prova esse cuscuz. Gostinho de milho verde é milharina. Na hora do café, o cuscuz amarelinho é ouro que reluz. O homem se seduz, puxa a negra pro cheirinho; e o bom cuscuz a receita a gente ensina pra fazer um bom cuscuz tem milharina”.

Lembrei quando éramos crianças. A gente cantava tudo na maior diversão. Saudade dessa época em que até os intervalos comerciais eram divertidos. Após o sonho de hoje veio à lembrança vinhetas comerciais da minha infância e não poderia deixar de registra-las. Algumas só quem é da terrinha vai lembrar:

“Crem, cremo, cremo, Cremogema é a coisa mais gostosa desse mundo. Eu esqueço minha boneca, eu esqueço a minha bola ...

“Era uma vez três sacis, de gorro vermelho e cachimbo, brincando nas matas daqui”...

“Tem feira nas Casas Zé Araújo, Oxente vamos lá comprar. Tem pano, retalho a beça, resto de peça pra se comprar”...

“Senhora da Conceição, minha mãe, minha rainha, dai-me a vossa proteção minha querida madrinha”...

"Vivemos nessa terra forte, nesse sol do norte, de luz e amor. Sorrindo vamos para a praia, de maiô, de saia, o verão chegou”... (adorava a ciranda)

“Apanho o sabonete, abro uma torneira e de repete a gente sente Duchas Corona, uma banho de alegria num mundo de água quente”...

Bom, agora voltando ao sonho continuo lembrando-me da música do cuscuz, vou aproveitar e fazer um... com galinha e café huuuuummmm 

11 de jun de 2012

Sugestão de nomes para bebê


Sempre soube que um bom exemplo de relações interpessoais é chamar as pessoas pelo nome. É um ato de respeito e atenção ao próximo. Saber o nome do zelador, porteiro, moço da cantina, senhora do cafezinho faz parte dessa relação e não apenas o nome do chefe, diretor ou doutor.Sempre procurei saber os nomes das pessoas para me direcionar a elas de forma correta, mas confesso que sempre torci para que ninguém me chamasse pelo meu nome. O mesmo é resultado de uma promessa feita por minha mãe na época em que era católica. Pra mim sempre foi difícil ouvi-lo porque não gosto e acho feio. Se alguém pergunta meu nome eu respondo com vergonha. Talvez isso explique o motivo de eu levar falta na escola com vergonha de dizer presente.E agora me deparo no maior dilema. Escolher um nome masculino e outro feminino para bebê.Essa decisão é muito séria. Não dá pra falhar. Por isso quero sugestões, já cansei de procurar na internet. Busco algo que não tenha as letras K, Y e W


Assim como dividi com vocês meu momento de alegria, venho agora comunicar que meu coração está em luto. Fui mãe por Oito semanas e agora meu coração está dolorido. Obrigada a todas as pessoas que se alegraram com minha felicidade! Eu vou ficar bem!