MOSAICOS DE UMA VIDA

Juntando cada peça forma-se o mosaico de minha vida. Tantos sentimentos me envolvem. Sentimentos ruins, outros bons. Saudade de quem se foi para eternidade. Saudade de quem posso ligar para ouvir a voz. Tristeza pelas metas não cumpridas e alegria pelos objetivos alcançados. Gemidos de dor, outros de prazer.

9 de ago de 2013

Castração Psicológica

Capa do livro O PAU
Não sei por qual motivo umas amigas me apelidaram de “Fafálica”. O apelido me fez lembrar a escritora Fernanda Young e uma das suas obras, intitulada O PAU.  Neste livro a autora conta a história de uma mulher madura, independente financeiramente, inteligente, bonita. Até ai estava tudo muito perfeitinho, até que ela se envolve com um homem mais jovem, sobretudo imaturo, com uma inteligência não muito avançada. Ela tenta lapidá-lo, indicando bons livros, filmes, cursos e até financiando viagem internacional.

O bonitão não se contenta com “pouco” e busca uma relação extra, mas a namorada descobre a pulada de cerca através de uma mensagem de texto no iPhone do amado. Obviamente como uma mulher traída ela tem sede de vingança e como mulher inteligente trama sua vingança para atingir o alvo mais precioso do macho. E assim inicia uma castração.... Calma, gente! Trata-se de uma castração psicológica.

8 de ago de 2013

Flui naturalmente ou depende de quanto?

Imagem de internet
Pra me cativar basta me fazer sorrir. E isso nem é tão difícil porque tenho um sorriso fácil, um sorriso largo. Basta me dar atenção; basta me ouvir. E se um dia eu chorar basta minhas lágrimas enxugar. É assim que as coisas fluem naturalmente e nem depende de quanto (...)  de quantas vezes eu sorrir, de quantas vezes eu falei e de quantas vezes eu chorei.

Só não sei como faz pra me reconquistar. Ainda não aprendi. Me perdi e não encontrei o caminho.

Saudade!

5 de ago de 2013

Barulho só se for das ondas do mar

Foto: JV Delfa
A vida agitada da cidade, sua poluição visual somada à poluição sonora, a violência urbana e o caos no trânsito foram os fatores que me lapidaram, fazendo-me desejar estar só.  E como estar só é diferente de sentir-me só, há momentos que almejo a primeira opção. Um livro me basta e pra beber uma água de coco (quem me conhece leu nas entrelinhas kkkk). Barulho nem pensar, só se for das ondas do mar.