MOSAICOS DE UMA VIDA

Juntando cada peça forma-se o mosaico de minha vida. Tantos sentimentos me envolvem. Sentimentos ruins, outros bons. Saudade de quem se foi para eternidade. Saudade de quem posso ligar para ouvir a voz. Tristeza pelas metas não cumpridas e alegria pelos objetivos alcançados. Gemidos de dor, outros de prazer.

12 de out de 2014

MosaicoTerapia: a arte imitando a vida

Porta Guardanapo em Mosaico (em construção)
Dedicar meu tempo ao MosaicoTerapia permite-me "metaforizar" a arte com a vida real.

As peças que não se encaixam, o sangue do dedo cortado, a dor que não é suficiente pra me fazer desistir, a solidariedade de quem só quer ajudar montar o quebra-cabeça. Ainda tem o pingo da cola querendo ser lágrima; e a busca da peça perfeita nessa vida imperfeita.

4 de out de 2014

Trabalho significa ...

Lendo sobre sociologia do trabalho me deparei com a origem dessa palavra derivada do latim tripaliare e que significa torturar. Por outro lado, Karl Marx via o trabalho como uma ação exclusivamente humana.

“Oxente”, torturar não é desumano?

A sociologia  diz que trabalho humano precisa ser justo, digno e reconhecido.  Ou seja, salário quantitativamente justo, dignidade no que se refere às boas condições de trabalho e reconhecimento no sentido de valorizar o/a trabalhador/a. É disso que ele/a necessita.

Para a psicologia, a falta de equilíbrio entre às exigências do trabalho e às necessidades do/a trabalhador/a pode trazer repercussões mais ou menos acentuadas sobre a saúde mental.

Vamos ligar o alerta para evitar tal desequilíbrio e entender as estratégias para fugir das “doenças do trabalho”.

Inteligência Emocional

Buscando entender a diferença entre tristeza profunda e depressão, eu fui apresentada ao termo “inteligência emocional” e passei a praticá-la.

Tal inteligência está dividida em duas partes: interpessoal e intrapessoal. É desta última que eu quero falar neste texto, pois se trata de habilidades que pratico com o intuito de fugir dos sentimentos que ainda me confundem.

Para tanto, primeiramente busco o autoconhecimento emocional, reconhecendo cada sentimento, sua origem, o caminho que me fez chegar ali...

A segunda etapa eu considero a mais difícil, que é o controle emocional. Nesta etapa é preciso ter habilidade para viver e conviver com o sentimento que machuca, dói, faz sofrer e chorar; é preciso encontrar a rota de fuga...

Depois vem a automotivação; essa etapa pode ser traduzida com a letra da música: “Reconhece a queda e não desanima; levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima”.