MOSAICOS DE UMA VIDA

Juntando cada peça forma-se o mosaico de minha vida. Tantos sentimentos me envolvem. Sentimentos ruins, outros bons. Saudade de quem se foi para eternidade. Saudade de quem posso ligar para ouvir a voz. Tristeza pelas metas não cumpridas e alegria pelos objetivos alcançados. Gemidos de dor, outros de prazer.

15 de mar de 2013

O Vinho pensando por mim!


Certo dia uma amiga disse que quando o vinho começa a pensar por ela é sinal que está na hora de dormir. Eu respondi que quando o vinho começa pensar por mim é chegada a hora de escrever.

Foi justamente quando o vinho estava pensando por mim que comecei escrever (mentalmente) este texto. O vinho começou observar as pessoas bem como suas bebidas escolhidas e seus efeitos. Uns tomavam cerveja, outros tomavam Whisky, apenas um se arriscava na cachaça, mas tinha também quem tomava apenas água.

A galera da cerveja disputava o banheiro. O vinho até entendia a necessidade de esvaziar a bexiga, mas ficava sem entender o motivo daquelas pessoas mudarem a frase “fazer xixi” para a frase “tirar água do joelho”.

Os adeptos do Whisky viraram filósofos e economistas. Eles falavam em dinheiro, mão de obra e lucro. Uns defendiam e outros eram contra o capitalismo. Ai o vinho ficou imaginando no quanto Karl Marx estava inquieto no túmulo querendo participar da conversa.

O cachaceiro era o mais conversador e palhaço de todos. Ele participava de todas as discussões, não discordava de ninguém. Isso fazia o vinho não só pensar, mas rir. Rir muito com o cachaceiro porque ele não discordava justamente para usar palavras repetidas. De uma forma engraçada ele dizia diversas vezes “concordo com você” dirigindo-se ao cara da cerveja e em seguida dizia: “assim como não discordo do que eles falaram”, referindo-se a galera do Whisky.

E as meninas da água? Coitadas! Antes tivessem compartilhado o vinho comigo. Elas perderam a voz, só faziam ouvir a conversa de bêbedo, sentiram sono, mas em compensação comeram. Beber não, mas comer era com elas; o vinho maldosamente percebeu que fazer tira-gosto era apenas uma estratégica das meninas da água só pra comer muito.

Foto: Déborah Barbosa
Depois de algumas viradas de copo entre os amigos o vinho se assustou com um problema que surgira. A galera ficou surda. Quanto mais bebiam mais falavam alto. Foi quando o vinho percebeu que a bebida provoca sono, gera problema de audição, ressuscita filósofos, forma palhaço, abre o apetite e faz escrever mentalmente.



6 comentários:

  1. Muito bom. kkkkkk Conclusão, não bebam água. =D

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, porque não beber? O homem só aguenta ficar apenas 3 dias e dependendo é claro da resistência. :(

    ResponderExcluir
  3. Texto muito perfeito , é bem assim que nos sentimos , adorei o final quando diz que o vinho ressuscita filósofos e forma palhaços , é bem assim mesmo

    ResponderExcluir
  4. Isso que é o bom da vida!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Fafá, texto show... escritora fera! Deus te conserve assim, que venham mais noitadas e bom humor, o vinho te faz muito bem!

    ResponderExcluir
  6. Muito bom, Uma taça poetica de vinho

    ResponderExcluir